Artigos

UPL vai abrir nova fábrica, investir R$ 1 Bilhão e começar a exportar lentilhas para a Índia

UPL
6 de outubro de 2016

Em entrevista recente ao jornal Valor Econômico, Carlos Pellicer apresenta planos ousados para crescimento da UPL no Brasil.

O final de setembro foi de muitas novidades para o agronegócio nacional e para nós da UPL, em particular. Isso porque a UPL anunciou que vai investir R$ 1 BIlhão na criação de uma nova fábrica de agroquímicos no Brasil. Acompanhamos a movimentação deste anúncio, a visita de nosso ministro da agricultura Blairo Maggi ao país e a entrevista que o presidente da UPL no Brasil, Carlos Pellicer concedeu ao jornal Valor Econômico. O resumo, você lê a seguir.

Pellicer na Valor Econômico

A entrevista a um dos mais influentes veículos de negócios do país foi um marco importante para o momento da empresa.

Primeiro ponto: o investimento anunciado tem forte apelo estratégico, quando a empresa se prepara para atingir o primeiro BILHÃO DE DÓLARES em faturamento no país bem antes do projetado, em 2020.

Segundo ponto: o alinhamento estratégico favorece ao agronegócio nacional na balança geral de mercados-chave para a companhia. O Brasil já é o terceiro mercado da UPL, atrás apenas da Índia e EUA.

Terceiro ponto: o plano de implantação da fábrica já está pronto. Ela será dedicada à síntese de produto técnico, matéria-prima para os defensivos, capacidade que hoje é pouco atendida pela planta de Ituverava (SP), com cerca de 35%. A meta é chegar a 65% da matéria-prima sintetizada aqui. E mais: o novo centro fabril vai gerar 700 empregos diretos.

Quarto ponto: o anúncio marca uma aproximação com o governo. A notícia foi dada em parceria com o próprio ministro da Agricultura, que esteve pessoalmente na índia.

Mimistro Índia

Este movimento é estrategicamente importante porque o início da produção requer autorização de registros específicos, concedidos por entidades como o próprio ministério, a ANVISA e o IBAMA.

Quinto ponto: O Brasil se preparar para entrar em um novo cenário: o fornecimento de lentilhas para a própria Índia, país majoritariamente vegetariano. O movimento abre espaço para exportações bilionárias, que já estão em estudo feito em parceria com o EMBRAPA. A estimativa é otimista: até 2020 indianos estarão importando 10 milhões de toneladas da leguminosa.

Ver mais Artigos >