Artigos

UPL lança E-book gratuito sobre o correto preparo da calda

UPL
28 de maio de 2018

Sempre atenta à boa qualidade no campo, foi consolidado material prático com informações sobre tecnologia de aplicação.

Você já prestou atenção em como tem preparado a calda na hora da aplicação das soluções na lavoura? E qual é a importância de se conhecer os tipos de formulação antes mesmo de colocar a solução no tanque? Será que isso influencia no seu resultado final?

Se você possui dúvidas como essas, vai gostar da novidade que a UPL preparou. A companhia lança um E-book sobre tecnologia de aplicação, no qual muitas informações úteis podem ser encontradas para se preparar para aplicar seu fungicida na lavoura.

Com a resistência da Ferrugem Asiática eminente na soja e, as recomendações do FRAC sobre o uso de fungicidas com sítio específico e multissítio para aumentar a efetividade do controle da doença na soja, muitas dúvidas surgiram sobre como preparar a calda correta e como ter sucesso nas aplicações na cultura. E por isso, foi criado esse material que explica também que o conhecimento das formulações dos produtos pode ajudar bastante nesse preparo.

Conhecendo a formulação do produto a ser utilizado consegue-se constatar se ele tem difícil solubilidade em água ou não. E, de acordo com isso, a forma de se adicionar ao tanque pode variar como explica Sergio Decaro, Agrônomo de Tecnologia de Aplicação da UPL: “A adição direta de produtos de baixa solubilidade como WG, WP ou SC, pode resultar em decantação no tanque se não for feita uma pré-diluição. Nos casos de produtos com formulação EC, ou demais que contenham óleo, pode haver o contrário, ficando uma proporção de óleo sobrenadante no tanque. Finalmente os que apresentam boa solubilidade em água como formulações SG, SP ou SL, a solução no tanque fica uniforme”.

Mas, além da preparação da calda, existem outros fatores que tem ainda mais importância nesse processo: “Se não houver agitação constante e intensa, haverá decantação e o filtro de sucção é o primeiro a receber o conteúdo superconcentrado de calda, o que pode comprometer a alimentação ou fluxo da bomba com a quantidade necessária de calda. A bomba, por sua vez necessita que o fluxo de calda arrefeça seu interior. Quando há problemas na alimentação de calda na bomba, a mesma pode cavitar e esquentar”, explica Decaro. O que pode prejudicar os selos de vedação podendo levar os mesmos ao rompimento.

Assim, pelos recentes volumes baixos de calda, quando o conteúdo decantado consegue finalmente passar pelo filtro de sucção e pela bomba, ele provavelmente acabará retido nos filtros de ponta, no final da seção de barra, onde o fluxo de calda perde velocidade. “O resultado final pode ser a completa obstrução dos bicos e necessidade de limpeza de todo o sistema hidráulico. A origem do problema confunde o agricultor no campo, pois os problemas não ocorrem na primeira aplicação, mas sim na terceira ou quarta, já que a correta limpeza do equipamento quase nunca é feita. Isso porque sempre sobra calda dentro do tanque, pernoita ou fica por horas ou dias decantando. Esta situação de calda pronta ou parada, mesmo que por minutos é o suficiente para promover decantação de produtos”, explica Sergio Decaro.

Mas, como posso resolver isso para que não influencie no meu resultado final?

– Para evitar problemas de decantação mantenha a agitação dentro do tanque ininterrupta do momento da colocação do primeiro produto no tanque até a aplicação de todo o seu conteúdo, sem restar nada;

– Escolher um pulverizador com alta vazão de bomba e sistema de agitação mais eficiente é o primeiro passo;

– Mantenha a agitação ligada o tempo todo e nunca deixar a calda em repouso dentro do tanque do pulverizador;

– Havendo a necessidade de interromper a aplicação, mediante chuva ou outro motivo, deve-se transferir a calda para um reservatório auxiliar. Esta seria a única alternativa eficiente para quem tiver a intenção de reutilizar a calda;

– A calda deve ser aplicada no tempo mais curto possível, uma vez que os ingredientes ativos degradam o que pode inviabilizar total ou parcialmente os produtos no tanque, com o passar do tempo;

– Mantenha a intensidade da agitação. E para isso, você dependerá da rotação da máquina escolhida. É frequente durante o preparo de calda que o aplicador não se posicione para que a rotação do pulverizador mantenha a bomba em agitação plena, visando não “forçar” o equipamento ou pensando em economia de óleo diesel;

– Como última etapa de boas práticas na aplicação, deve-se atentar ao correto preparo da calda a ser incorporada ao tanque do pulverizador, de modo a adicionar corretamente os produtos no tanque e evitando problemas de incompatibilidade de caldas.

Para acessar o E-book e baixar gratuitamente clique no link:
http://uplbrasil.com.br/ebook/

 SOBRE A UPL

A UPL, uma empresa indiana que traz soluções inovadoras e sustentáveis em proteção de cultivos para o agricultor. Fundada em 1969, a companhia atua hoje em mais de 86 países com 28 fábricas que desenvolvem e comercializam produtos da mais alta qualidade, segurança e tecnologiaNo Brasil, onde atua desde 2006, conta com fábrica e estação experimental em Ituverava-SP e, foi eleita por dois anos consecutivos como uma das melhores empresas para se trabalhar pela Great Place to Work®. Por seu trabalho com produtores e pesquisadores para encontrar soluções mais eficientes para campo e através de novas formulações e produtos, equipe especializada e expansão de portfólio, a empresa conta com forte presença nos mercados de soja, milho, cana-de-açúcar, arroz, café, feijão, citros, algodão, pastagem e hortifrúti.

www.uplbrasil.com.br

Ver mais Artigos >